Entre o baile e o terreiro, MC Tha apresenta o projeto “Meu Santo é Forte”


Conectando o tradicional e o contemporâneo em um mesmo tempo, MC Tha versa entre o sagrado e o profano no projeto transmídia Meu Santo é Forte, que chega às plataformas digitais no dia 28 de junho. O EP, composto por cinco composições já entoadas pela voz de Alcione, apresenta um mergulho profundo da artista em pesquisas e vivência com as religiões afro-brasileiras, mesclando estéticas e ritmos de um jeito original, atual e genuíno por meio do funk, tambores e pontos cantados. Ele também se desdobra no programa “Clima Quente Show”, apresentando uma experiência audiovisual protagonizada pela própria artista – e já tem data para chegar aos palcos: dia 30 de junho, no Cine Joia, em São Paulo (ingressos aqui), e 8 de julho, no Circo Voador, no Rio de Janeiro (ingressos aqui).

As composições selecionadas para guiar tais propostas foram “São Jorge”, “Figa de Guiné”, “Corpo Fechado”, “Afrekete” (produzida por MU540) e “Agolonã”, lançadas originalmente entre as décadas de 70 até os anos 2000 – as três primeiras, respectivamente, ganharam na nova versão um coro especial da Comunidade Jongo Dito Ribeiro. Estas resgatam um desejo antigo de MC Tha de trazer Alcione, uma das mais notórias sambistas do país, para dentro do processo criativo como um caminho para refletir e relembrar as raízes ancestrais em um país que caminha lentamente para esta direção. “Durante a feitura do projeto, tivemos algumas observações a serem levadas em consideração, pensando na importância deste projeto no atual Brasil. Temos um aumento alarmante de casos de preconceito religioso contra terreiros, a aliança entre organizações religiosas neopentecostais atuando em algumas favelas reprimindo o povo de santo, por exemplo”, analisa a MC. 

Com uma base fundamentada no funk, o “Meu Santo é Forte” fortalece a mensagem da conexão entre o ritmo e os toques afro-religiosos, tocados nos candomblés, nas umbandas, morros e periferias (com ênfase ao toque Congo de Ouro, ritmo de origem angolana), que se assemelha ao vasto repertório afro presente em diversas expressões populares de resistência, como o Jongo. Essa é uma das características presentes na faixa “Rito de Passá” (assista ao videoclipe aqui), que contou com a produção musical de DJ Tide, e dá nome ao seu primeiro álbum, responsável por dar projeção à carreira da  cantora e compositora.

Com a direção de Rodrigo de Carvalho e Vitor Nunes, o programa “Clima Quente Show” recebe artistas em desenvolvimento na cena atual da música brasileira e convida MC Tha para apresentar as canções de Meu Santo é Forte. De forma fictícia e com um roteiro descontraído desenvolvido pela cantora, o trabalho visual cria uma realidade em que o tempo se mistura e deságua na possibilidade de imaginar uma Alcione da época do programa Alerta Geral – onde recebia personalidades e sambistas em plena TV aberta – nos dias atuais e uma MC Tha com a elegância e força na década de 70. A produção ainda conta com uma publicidade exclusiva da Sallve, marca nativa digital que busca conectar pessoas, ideias e conteúdos sobre um novo mercado de beleza, e também anuncia a volta das vendas do LP no álbum “Rito de Passá” (2019) pela NOIZE Records Club (acesse aqui).

O novo trabalho estreia nos palcos no dia 30 de junho, no Cine Joia, em São Paulo (ingressos aqui), com DJ sets confirmados de Brazooka e MU540. Logo na sexta-feira seguinte, 8 de julho, MC Tha leva o show de lançamento para o Circo Voador, no Rio de Janeiro (ingressos aqui), dividindo a noite com Jup do Bairro.

Comentários Facebook